Valorização da Vida – Nota oficial do Departamento de Saúde

1015

Recentemente o município tem notificado casos de tentativa de suicídio ou suicídio consumado. Nesses momentos é importante primeiro prestarmos nossa solidariedade aos familiares e amigos que estão vivendo o luto e fortalecer as pessoas que sobreviveram ao suicídio mostrando que há outras maneiras de se enfrentar os sofrimentos.

O suicídio é um fenômeno presente ao longo de toda a história da humanidade, em todas as culturas. Porém, ainda é considerado um tabu e ainda temos medo e vergonha de falar abertamente sobre esse importante problema de saúde pública. É importante o enfrentamento desse problema tomando os cuidados por se tratar de um assunto doloroso e delicado.

O suicídio resulta da interação entre fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais, culturais, e ambientais, não podendo ser considerado de forma causal e simplista apenas a determinados acontecimentos pontuais da vida da pessoa. Faz parte da prevenção identificar pessoas que estão em risco ou mais vulneráveis, quais circunstâncias influenciam seu comportamento e fortalecer ações que intervenham nessas tentativas.

O que pode reduzir e prevenir os riscos de suicídio:

  • Apoio da família, de amigos e de outros relacionamentossignificativos;
  • Crenças religiosas, culturais, e étnicas;
  • Envolvimento na comunidade;
  • Uma vida social satisfatória;
  • Integração social como, por exemplo, através do trabalho e do uso construtivo do tempo de lazer;
  • Escuta sem julgamentos;
  • Acesso a serviços e cuidados de saúde mental.

Para identificarmos melhor, é importante entendermos quais são os fatores de risco que possibilitam o comportamento suicida:

  • Tentativa de suicídio anterior;
  • Acesso a meios para conseguir fazer-se mal;
  • Trauma, tal como abuso físico, sexual e violência doméstica;
  • Problemas com o funcionamento da família, relações sociais, e sistemas de apoio;
  • Sofrimento mental tais como como depressão, perturbações da personalidade, esquizofrenia, e abuso de álcool e outras substâncias;
  • Exposição ao suicídio de outras pessoas;
  • Perdas recentes;
  • Histórico de suicídio na família ou entre amigos;
  • Sentimentos de desesperança, desespero e desamparo;
  • Isolamento social;
  • Preconceitos relacionados agênero, orientação sexual, racial e étnico;
  • Acontecimentos destrutivos e violentos (tais como guerra ou desastres catastróficos).
  • Atentar-se a falas como: “seria melhor se eu morresse”, “eu não sirvo para nada”, “eu sou um peso”, “tenho vontade de sumir”

Recomendamos que a população sempre procure os serviços de saúde em situações de risco de suicídio.O município oferta uma rede integrada principalmente entre Assistência Social, Saúde, Educação, Conselho Tutelar e Promotoria via Comitê Municipal de Promoção de Saúde Mental e Erradicação da Violência, que promove a discussão de casos e condições presentes no município para propor ações de cuidado, prevenção e promoção da saúde e qualidade de vida. Há a oferta de palestras em diferentes contextos, orientações, o acolhimento dos profissionais e ações de prevenção e promoção da Saúde.

O Departamento de Saúde promove atualmente as seguintes ações:

  • Rodas de Terapia (UBS Ivoly, Maria Borba e Lázaro),
  • Grupos de Saúde de Mulheres (UBS Ivoly/Maria Borba, Lázaro, Damásio e MassahiroOga),
  • Ações de saúde física como Pilates e caminhada (todas as UBS),
  • Grupos de Saúde para Idosos (Salão da Igreja Matriz),
  • Visitas Domiciliares,
  • Projeto Amigas Visitantes,
  • Multirões de Saúde,
  • Capacitação aos profissionais,
  • Palestras de Prevenção do Suicídio para a população,
  • Matriciamento,
  • Intervenções, Palestras e Rodas de Conversa em escolas e bairros,
  • Acolhimento por profissionais Psicólogas, Enfermeiras(os), Médicas(os), Farmacêuticas, Agentes Comunitárias(os) de Saúde, entre outros,
  • Atendimento Psicoterapêutico (UBS Damásio, Ivoly, Lázaro, MassahiroOga e Maria Borba),
  • Avaliação, orientação e direcionamento para especialidades, conforme a demanda,
  • Atendimentode urgência no Pronto Atendimento Municipal (PAM),
  • Atendimento Psiquiátrico no Hospital Regional do Vale do Ivaí, Ambulatório de Saúde Mental (CISVIR – Apucarana),
  • Acolhimento de urgência e trabalhos de fortalecimento dos pacientes de Saúde Mental no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS – Cambira).

Além dos serviços citados, há associações como o Centro de Valorização da Vida, que realizam atendimentos em nível nacional. O CVV presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo.

 

Telefones úteis:

UBS

Damásio – 3432-7120

Ivoly – 3432-4420

MassahiroOga – 3432-7584

Maria Borba – 3432-2449

São José – 3432-5044

Lázaro – 3432-7398

PAM – 3432-1421

CAPS Regional – Cambira – 3436-1686

SAMU – 192

Centro de Valorização da Vida (CVV) – 188 ou 141,ou pelas opções chat, email, skype e central de atendimento.

Para mais informações:

https://www.cvv.org.br/wp-content/uploads/2017/09/folheto-popula-o.pdf

http://www.flip3d.com.br/web/temp_site/edicao-0e4a2c65bdaddd66a53422d93daebe68.pdf

Elza Maria Ferraz – Secretária Municipal de Saúde

Mariana Frediani Sant’Ana – Psicóloga, Coord. Saúde Mental

Compartilhar