UFPR vai instalar núcleo em Mandaguari, diz jornal

4541
Do Jornal Agora

Procurado pela Rádio Jandaia e JandaiaOnline, o diretor do Campus da UFPR de Jandaia do Sul Eduardo Teixeira não quis falar sobre o assunto.

(Jornal Agora)  Prefeitura de Mandaguari, direção da Fafiman e direção da UFPR (Universidade Federal do Paraná) anunciaram nesta semana a instalação do Núcleo de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo no município. A princípio serão montados quatro laboratórios – de Solos, de Análises de Alimentos, de Materiais e de Empreendedorismo – que vão funcionar nas dependências da Fundação Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mandaguari.

“Ocuparemos quatro salas, sendo que não será cobrado aluguel. Vamos arcar apenas com os custos operacionais, como energia elétrica e água. Isso porque o poder público e a faculdade entendem que o uso das salas de aula é uma contrapartida pelos trabalhos que serão realizados aqui”, explica o diretor do campus da UFPR em Jandaia do Sul, Eduardo Teixeira da Silva. A previsão é de que em maio o núcleo já esteja em atividade, com aproximadamente 30 alunos desenvolvendo pesquisas.

“Esse núcleo será o embrião de um grande centro tecnológico para a região. Tem como objetivo atender às demandas das empresas e indústrias, oferecendo soluções de problemas, melhorias em processos e desenvolvimento de tecnologias por meio da mão de obra que a Federal possui, que são os professores pesquisadores e os estagiários.”

Para Teixeira, a parceria resulta em ganhos para os dois lados. “Nós temos leis que incentivam o uso de recursos de indústrias e empresas dentro das universidades, que é onde está o know-how e a mão de obra. Do outro, os acadêmicos passam a ter a possibilidade de colocar em prática os conhecimentos adquiridos e de crescer por meio de desafios.” Ele destaca que o núcleo também foi pensado nas primeiras turmas de graduação do campus de Jandaia que se formam no próximo ano e precisam fazer o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). “Nós estamos adiantando e criando oportunidades para eles. Muitos já fazem estágio em empresas da cidade, como Aurora e Romagnole. A ideia é que o núcleo funcione na Fafiman, com os professores, e esses alunos trazendo as demandas. A partir dessas demandas, vamos criar um banco de dados, que será acionado quando tivermos de projetar novos cursos para a região.”

 

Mandaguari

Questionado sobre o porquê da escolha por Mandaguari, o diretor conta que no começo do ano passado, houve a aproximação entre a universidade e a administração municipal e que, na época, foi firmado um Termo de Cooperação que vai até março de 2021. “Em uma de nossas visitas à prefeitura, tivemos a oportunidade de apresentar a UFPR para cerca de 50 empresários, mostrar o nosso potencial e de que forma a instituição estava presente na comunidade. Foi ali que surgiu a ideia do núcleo, tendo como polo Mandaguari. Os principais motivos são: o número de empreendimentos que a cidade possui e a proximidade com cidades estratégicas, como Arapongas; o acolhimento e apoio recebido; e o local para a nossa instalação com custo baixíssimo.”

O diretor ressalta que há algum tempo os equipamentos dos laboratórios estão encaixotados por não haver recursos para manter um aluguel. “E na semana passada a situação ficou ainda mais difícil. Foi editada Medida Provisória, e os cortes do Governo Federal foram assustadores, principalmente na questão de custeio, e custeio está diretamente ligado a aluguel. Os cortes de aluguel da UFPR, como um todo, estão na faixa de R$ 9 milhões.” Atualmente instalada na Fafijan (Faculdade de Jandaia do Sul), com cinco cursos de graduação – três engenharias e duas licenciaturas – a universidade tem o custo em torno de R$ 100 mil/mês para utilizar as dependências. “É complicado”, revela Teixeira.

No caso específico de ter uma extensão da Federal de Jandaia em Mandaguari, além do contexto favorável citado, o diretor diz que as pessoas precisam enxergar a universidade como algo maior, “que em quanto mais lugares estiver, mais benefícios ela irá proporcionar.”

O vice-diretor da UFPR em Jandaia, José Eduardo Padilha de Sousa, destaca que o núcleo é ainda uma semente para se criar a pós-graduação. “Existem hoje linhas de pós-graduação como o mestrado profissional e o doutorado industrial, que foi regulamentado pela Capes. Então esses cursos são mais fáceis de criar porque a autorização não depende do MEC, mas da Capes. Nós temos apenas de ter uma demanda na região e professores.”

Procurado pela Rádio Jandaia e JandaiaOnline, o diretor do Campus da UFPR de Jandaia do Sul Eduardo Teixeira não quis falar sobre o assunto e disse que daria uma entrevista na próxima semana.

Compartilhar