Homenagem ao procurador de Justiça Cândido Furtado Maia Neto

867

Faleceu na noite desta terça-feira, 27 de novembro, aos 59 anos, o procurador de Justiça Cândido Furtado Maia Neto, que atuava no 4º Grupo Cível. Confira abaixo a homenagem da Procuradoria-Geral de Justiça:

Réquiem a Cândido Maia

Ao homem bom, até a morte é leve. Vem visitá-Lo sem aviso prévio, O conduz com suavidade, O livra de dores e sofrimentos muitas vezes decorrentes de longas enfermidades, evita o martírio do medo de Sua finitude ou do encontro com o insondável universo transcendente e desconhecido. Mesmo assim, nos dá a certeza de que atentou para o bem que o Visitado espalhou em vida e Lhe reservou o legado dos céus. De fato, como pregou Confúcio: “Aprende a viver bem, e bem saberás morrer”.

Subitamente, Cândido Furtado Maia Neto despediu-se da vida suavemente, deixando, porém, um rastro de sensibilidade e elegância de quem, discretamente, fez o próprio caminho ao andar pelas veredas do direito e da justiça, entregando-Se a um destino predestinado, em grande parte de Sua trajetória, a servir o Ministério Público e, assim, a sociedade paranaense.

Dedicou-se, paralelamente, à academia e às letras jurídicas. Seus textos contam e cantam a esperança de construção de um mundo tanto mais justo e belo quanto mais vinculado aos valores morais.

Avesso a procelas, pacifista e conciliador, angariou só amizades e apreços, além de admirações e simpatias. Tombou ainda combatente nas fileiras ministeriais, há tempo integrando o Colégio de Procuradores de Justiça, ao qual ascendeu após longa carreira ministerial, quase toda ela entregue aos mais distantes rincões interioranos da terra das araucárias.

Estamos, agora, a nos despedir de mais um valoroso soldado de nossas corajosas hostes institucionais. Conforta-nos a certeza de que Sua doce memória e a lembrança de Seu agradável convívio permanecerão entre nós tal qual fragrância exalada de flores de um jardim que só muda, periodicamente, de cores, mas que persiste perfumando o sonho de um horizonte alcançável e cada vez melhor para nossa descendência. Afinal, como bem disse Victor Hugo: “Morrer não é acabar, é a suprema manhã”.

Querido Cândido, que Sua manhã seja, lá junto de Deus, iluminada pelos bons passos que deu aqui na terra. Despede-se de Você o Ministério Público do Estado do Paraná, confortando Sua amada Família com o mais emocionado sentimento de pesar e solidariedade.

Compartilhar